Fator “r” do Simples Nacional: o que é – de forma simples

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Você sabe o que é o fator “r” do Simples Nacional? Leia o nosso artigo e entenda!

Uma dúvida de muitos gestores está em saber o que é e como calcular o fator “r” do Simples Nacional em sua empresa. Para te ajudar nessa questão foi que preparamos este artigo!

O Simples Nacional veio para favorecer micro e pequenas empresas no que diz respeito ao recolhimento de tributos, mas nem sempre isso se dá de forma “simplificada”, haja vista os detalhes que precisam ser seguidos para se encontrar o fator “r”.

Esse é um procedimento que empresas prestadoras de serviços devem realizar para verificar se devem recolher seus tributos com base no Anexo III ou V, da Lei Complementar 123/2006.

Mas já pode se tranquilizar, pois preparamos esse artigo justamente para que você entenda de maneira facilitada como o cálculo deve ocorrer,.

Então continue conosco, saiba o que é o fator “r” e como ele influencia o cálculo de impostos de empresas prestadoras de serviços enquadradas no Simples Nacional.

O que é o fator “r” do Simples Nacional 

De forma direta, fator “r” é um índice que vai servir como parâmetro para direcionar a apuração de empresas prestadoras de serviços, optantes do Simples Nacional, em utilizar como critério de cálculo o Anexo III ou V da Lei Complementar 123/2006.

Por que pode ser difícil calculá-lo

Um dos maiores obstáculos em relação ao cálculo está em entender como a legislação exige que ele seja feito.

Isso porque existem alguns detalhes os quais devem ser seguidos para que ele aconteça da forma correta.

Também é fundamental que se tenha informações precisas da empresa, principalmente relacionadas ao faturamento e folha de pagamento dos últimos doze meses para que consiga obter os números corretos.

Lembre-se que erros na apuração deixará o negócio exposto a sanções por parte do fisco!

Entenda como o fator “r”, do Simples Nacional, deve ser calculado por prestadoras de serviços

Primeiro é necessário que você conheça o faturamento e valor da sua folha de pagamento dos últimos doze meses, como nos traz o § 24, do art. 18, da Lei Complementar 123/2006:

  • 24.  Para efeito de aplicação do § 5o-K, considera-se folha de salários, incluídos encargos, o montante pago, nos doze meses anteriores ao período de apuração, a título de remunerações a pessoas físicas decorrentes do trabalho, acrescido do montante efetivamente recolhido a título de contribuição patronal previdenciária e FGTS, incluídas as retiradas de pró-labore.       

Lembrando que devem ser seguidas as orientações do parágrafo 26 do respectivo artigo:

  • 26.  Não são considerados, para efeito do disposto no § 24, valores pagos a título de aluguéis e de distribuição de lucros, observado o disposto no § 1o do art. 14.

Posteriormente, basta dividir o valor da folha de pagamento acumulada nos últimos 12 meses pela receita bruta total, também acumulada por igual período.

Ou seja:

Fator “r” = Folha de pagamento (massa salarial) dos últimos 12 meses / Faturamento dos últimos 12 meses

Nesse contexto, existem duas situações que merecem atenção.

A primeira se trata de empresas no início de atividades.

Nesse caso, deverá ser seguido o que trazem os incisos I, II e III, do parágrafo 6°, do artigo 18°, da Resolução CGSN 140, de 22 de maio de 2018, a saber:

I – se a FSPA for maior do que 0 (zero) e a RPAr for igual a 0 (zero), o fator “r” será igual a 0,28 (vinte e oito centésimos);

II – se a FSPA for igual a 0 (zero) e a RPAr for maior do que 0 (zero), o fator “r” será igual a 0,01 (um centésimo);

III – se a FSPA e a RPAr forem maiores do que 0 (zero), o fator “r” corresponderá à divisão entre a FSPA e a RPAr.

A segunda ocorre quando se tratar de cálculo do fator “r” de período de apuração do mês posterior ao mês em que a atividade se inicia, nesse caso, deverá ser seguido o que mandam os incisos I, II e III, do parágrafo 7°, do artigo 18°, da Resolução CGSN 140, de 22 de maio de 2018:

I – se FS12 e RBT12r forem iguais a 0 (zero), o fator “r” será igual a 0,01 (um centésimo);

II – se a FS12 for maior do que 0 (zero), e a RBT12r for igual a 0 (zero), o fator “r” será igual a 0,28 (vinte e oito centésimos);

III – se a FS12 e a RBT12r forem maiores do que 0 (zero), o fator “r” corresponderá à divisão entre a FS12 e a RBT12r; e

IV – se a FS12 for igual a 0 (zero) e a RBT12r for maior do que 0 (zero), o fator “r” corresponderá a 0,01 (um centésimo). 

Nesse contexto, caso a empresa encontre um fator “r” maior ou igual a 28% (ou 0,28), deverá apurar pelo anexo III.

Porém, encontrando um percentual menor do que 28% (ou 0,28), deverá ser apurado pelo anexo V.

Ogura: nós podemos te ajudar a manter sua empresa prestadora de serviços em conformidade com a legislação

Então, para que tudo seja feito da forma correta, em conformidade com a legislação, é fundamental o apoio de profissionais especializados em sua empresa prestadora de serviços.

Isso porque, de acordo com o Anexo VI, da Resolução do Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN),  n° 140, de 22 de maio de 2018, existem vários Códigos de Atividade Econômica que não permitem o ingresso de empresas que desenvolvem determinadas atividades ao Simples Nacional.

Além disso, a própria Lei 123/2006 traz outras particularidades que devem ser observadas nesse sentido.

Então, para garantir que sua empresa esteja alinhada com o que manda a legislação é essencial contar com quem conhece os requisitos para que ela opere de acordo com a lei.

Nesse aspecto, nós, da Ogura, podemos te ajudar!

Entre em contato conosco que te explicaremos, na prática, outros benefícios de contar com nossos serviços.

QUERO OBTER SUCESSO EM MINHA EMPRESA

Summary
 Fator “r” do Simples Nacional: o que é - de forma simples
Article Name
Fator “r” do Simples Nacional: o que é - de forma simples
Description
Uma dúvida de muitos gestores está em saber o que é e como calcular o fator “r” do Simples Nacional em sua empresa. Para te ajudar nessa questão foi que preparamos este artigo!
Author
Publisher Name
Ogura
Publisher Logo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendado só para você!
O ramo da contabilidade está presente em todos os setores…
1